Eleições - AIESEC Aveiro 15/16

Eleições da AIESEC em Aveiro para a próxima Direção - Mandato 2015/2016


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Eleição LCVP - Raquel Lopes

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Eleição LCVP - Raquel Lopes em Qui Fev 05, 2015 10:13 pm

Este tópico faz parte do processo de eleição da candidata Raquel Lopes para LCVP da AIESEC em Aveiro 15/16.

O Fórum online estará aberto a partir das  de Novembro às 9h00 da manhã do dia 6 de Fevereiro até ao dia 11 de Fevereiro às 09h00 da manhã.

Regras do Fórum Online:

- As questões aos candidatos devem ser enviadas ao Presidente da Assembleia Geral via e-mail (pag@aveiro.aiesec.pt) para que estas sejam consideradas e publicadas no fórum;
- Qualquer membro da AIESEC poderá colocar questões;
- Cada membro poderá colocar até duas questões a cada candidato;
- Os candidatos têm 48 horas para responder;
- Será colocada a hora (hh/mm) aproximada de quando o PAG coloca a questão no fórum;
- Será colocada a hora (hh/mm) aproximada de quando o PAG recebe o email com a resposta do candidato;
- Apenas quem fizer questões no Fórum terá direito a fazer questões na AG;

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

2 Juliana Rocha em Ter Fev 10, 2015 3:34 pm

Perguntas de Juliana Rocha [10 de Fevereiro às 15h35]:

1)​Quais devem ser a 3 principais estratégias (com respetivos KPIs) para a área de ​OGX GCDP no próximo mandato?



Resposta [12 de Fevereiro às 14h26]:
As prioridades estratégicas para a área de OGX GCDP no próximo mandato devem ser: sinergia com Marketing (promoção física no campus da Universidade de Aveiro quanto ao programa Global Citizen e promoção online semanal através do Facebook e MailChimp); reforçar as parcerias com Núcleos (reuniões quinzenais); e fazer relatórios de recrutamento (relatórios bi- ou trimestrais para tracking de (potenciais) EPs).


2) Tendo em conta a tua visão, a visão do LCP eleito e imaginando que estás no final do teu mandato enquanto elemento integrante de uma Executive Board e enquanto LCVP, que imagem esperas ter do escritório?
Por favor expõe essa imagem em:
1) termos gerais do CL (cultura);
2) em relação a cada uma das áreas funcionais (principal achievement da área).


Resposta [12 de Fevereiro às 14h26]:
Para o mandato 2015-2016, considero que deve haver um foco em pipeline leadership e no desenvolvimento pessoal dos membros do LC de Aveiro. Tendo em conta a recente perda de membership, é necessário apostar no crescimento das áreas de exchange, tanto em ICX como em OGX e, uma vez que a visão do LCP eleito é uma cultura direcionada para resultados, é minha vontade termos um LC equilibrado: a EB deve implementar uma mentalidade de sinergia e complementaridade do foco entre resultados e desenvolvimento pessoal. Além disso, daqui a um ano, espero que o nosso escritório tenha uma participação e um reconhecimento maiores e mais sólidos a nível nacional e com presenças em conferência internacionais.
Para cada área e enquanto LCVP, considero que estes devem ser os principais objetivos e achievements:
                        - ICX: 2 RAs em GIP, taxa de conversão RA-MA-RE de 100% em GCDP
                        - OGX GCDP: aumentar o número de RAs com aposta no winter peak com forte promoção
                        - OGX GIP: aumentar o número de RAs através do reforço de parcerias com Núcleos, Professores e Departamentos
                        - MKT: melhoria da comunicação interna do LC
                        - HR: trabalho focado na motivação e inspiração dos membros
                        - FIN: criação de uma task force – um membro de cada área de exchange ser o responsável financeiro 



Última edição por PAG Aveiro em Sex Fev 13, 2015 3:45 pm, editado 2 vez(es)

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

3 Ana Cristina Paiva em Ter Fev 10, 2015 3:42 pm

Perguntas da Ana Cristina Paiva [10 de Fevereiro às 15h45]:

1) Diz qual a pergunta que gostavas que te tivessem feito durante o processo de candidatura, respondendo à mesma.



Resposta [12 de Fevereiro às 14h26]:
Gostaria que as questões não fossem tão objetivas, de forma a ser possível colocar um pouco da minha personalidade em cada resposta, tendo oportunidade para demonstrar o que me move na organização. Um exemplo disso poderia ser: “Indica o motivo pelo qual escolheste a área X como preferencial.”
Resposta: tendo eu tido a experiência mais gratificante e enriquecedora da minha vida no verão passado enquanto EP na Índia, decidi, após o estágio de voluntariado, juntar-me ao LC de Aveiro com o intuito de ajudar o escritório com a minha visão de ex-EP. Por isso, juntei-me a ICX, para poder contribuir para o desenvolvimento da área de iGCDP e proporcionar, a outras pessoas, oportunidades semelhantes à que vivi. Considerando eu que ICX é uma área relativamente desorganizada especialmente no que diz respeito às timelines aplicadas, penso que a minha experiência como membro de iGCDP, como EP e como pessoa motivada pelo voluntariado, pode ser útil para o nosso LC, uma vez que uma aposta bem estruturada em ICX – principalmente em iGCDP – pode fazer crescer o escritório fortemente. 

2) Imagina que estás numa reunião comigo, sendo que eu represento uma empresa potencialmente interessada em abrir um TN GIP, e eu coloco a seguinte questão: "Qual é a proposta de valor dos vossos estágios internacionais em comparação com os estágios providenciados pelo IEFP?". Responde de forma mais completa possível.


Resposta [12 de Fevereiro às 14h26]:
O programa Global Mind inclui os processos de recrutamento e seleção, evitando que a empresa tenha de despender os seus recursos temporais, humanos e financeiros para a execução dessas tarefas. É igualmente feito um servicing ao estagiário, assegurando a sua adaptação ao novo ambiente cultural em que será inserido. Comparativamente aos estágios providenciados pelo IEFP, uma das maiores vantagens dos programas da AIESEC é a escolha de um estagiário de outro país, o que representa uma forma viável de iniciar um processo de internacionalização: se a empresa pretende expandir o seu negócio para a Polónia, recrutar um estagiário polaco para uma oportunidade em Portugal será uma mais-valia para a empresa conhecer a cultura e a forma de trabalhar polacas, possibilitando um crescimento mais sólido e seguro. Uma vez que a pool de destina a estagiários recém-licenciados e de culturas diferentes, certamente este terá um mindset e perspetivas distintas das que encontramos em Portugal, contribuindo para ideias inovadoras no local de trabalho. É de salientar que a empresa está isenta de pagar Segurança Social relativamente ao estagiário da AIESEC, apenas o IRC, e que, caso o estágio seja de curta duração, o estagiário não terá período de férias. 



Última edição por PAG Aveiro em Sex Fev 13, 2015 3:46 pm, editado 2 vez(es)

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

4 Lara Varela em Qua Fev 11, 2015 12:42 am

Questões Lara Varela [Dia 11 de Fevereiro às 00h45]:


1) Tendo em conta a tua primeira opção de área funcional, refere as 3 principais estratégias (com respectivos MoS) para o próximo mandato.


Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]:

Sendo ICX a minha primeira opção de área funcional, as principais estratégias para o próximo mandato devem ser: eficácia no match (MoS: taxa de conversão RA-MA de 100%), parcerias com RH para formações de vendas principalmente em iGIP (MoS: 2 RAs em iGIP), e criação de parcerias internacionais LC2LC (MoS: 4 parcerias europeias e 3 no Brasil). 



2) Tendo em conta a situação atual de ICX GIP, refere as sinergias entre GIPi com as áreas que achas mais fulcrais para a obtenção do RA, mencionando estratégias e respetivos MoS.

Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]:
ICX – RH: implementação de um ciclo de formação de vendas com uma sintonia entre os oradores internos e os externos (MoS: taxa de conversão entre reunião com a empresa e RA de 20%.
ICX – MKT: criação de um bom e sólido booklet, que pode promover a imagem da AIESEC, explicitando a correta mensagem e propósito da organização, e criar uma maior abertura para uma reunião e um potencial RA (MoS: taxa de conversão entre contacto com as empresas e reunião com a mesma de 25%.
ICX – FIN: apresentação de pacotes de desconto para a empresa, caso esta pretenda abrir 2 ou mais RAs, o que facilita a adesão ao programa (MoS: 2 RAs na mesma empresa) 



Última edição por PAG Aveiro em Sex Fev 13, 2015 3:48 pm, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

5 Augusto Souto em Qua Fev 11, 2015 4:16 pm

Pergunta Augusto Souto [11 de Janeiro às 09h00]:

1) Por favor indica 4 primordiais LC2LC Partnerships para oGCDP da AIESEC em Aveiro para o Summer Peak 2015, justificando.


Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]:
Tendo em conta a oferta dos cursos do DLC, considero que os quatro países principais cujas parcerias LC2LC devem ser capitalizadas são escritórios de cidades alemãs (por exemplo: Berlim, Frankfurt, Hamburgo, Dusseldorf, Dortmund, Hannover e Muensterm), francesas (exemplificando: Paris, Toulouse, Estrasburgo, Marselha, Lion, e Bordeaux), chinesas e espanholas (Barcelona, Madrid e Sevilha). Uma vez que o DLC forma os seus estudantes nos idiomas de Alemão, Francês, Chinês e Espanhol, penso que uma promoção para o programa de teaching de OGX GCDP focada em projetos sociais nos países referidos pode aumentar o número de RAs e, posteriormente, de MAs e REs na área.



Última edição por PAG Aveiro em Sex Fev 13, 2015 3:49 pm, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

6 Salomé Ramalho em Qua Fev 11, 2015 4:18 pm

Perguntas Salomé Ramalho [dia 11 de Fevereiro às 09h00]:

1) Que sinergias pretendes construir/melhorar entre a tua primeira opção de área funcional e cada uma das restantes áreas do LC?



Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]:
ICX – MKT: booklets para promoção dos projetos dos programas Impact Portugal e Global Mind; promoção da marca AIESEC para que os membros de ICX só tenham de vender os programas e não a marca; estudo de mercado relativamente às empresas disponíveis e respetivas áreas de trabalho
ICX – HR: formações de vendas; tracking à motivação dos membros; sessões de lead; insistência e clarificação do why da AIESEC
ICX – FIN: ajuda nos pacotes de desconto para as empresas; obtenção conjunta de parcerias e patrocínios para financiar os projetos de ICX, contribuindo para um LC sustentável; controlo dos pagamentos dos programas por parte dos TN Takers com entrega da respetiva fatura
ICX – OGX GCDP: obter feedback de ex-EPs que possam ajudar nas vendas e na promoção dos programas de ICX; parcerias com LCs que receberam EPs do LC de Aveiro cujas experiências foram de qualidade
ICX – OGX GIP: apresentação de sharing experience ou showcasing de ex-EPs às empresas, promovendo a proposta de valor dos programas de iGIP e revelando o contributo que o EP deu à empresa

2) Indica-me 3 estratégias concretas que gostarias de ver adoptadas no próximo mandato, de modo a atingir o espírito e cultura que visionas para a AIESEC em Aveiro?



Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]:
Uma vez que gostaria que o espírito da AIESEC em Aveiro se centrasse mais nos membros e que todos se sentissem envolvidos e apaixonados pela organização, como se nós fossemos uma família de profissionais com um propósito comum, considero que a implementação de sessões de motivação, a passagem constante do why da organização para os membros e a existência de momentos de convívio, podem fomentar essa cultura.



Última edição por PAG Aveiro em Sex Fev 13, 2015 3:50 pm, editado 2 vez(es)

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

7 André Gomes em Qua Fev 11, 2015 4:24 pm

Perguntas André Gomes [dia 11 de Fevereiro às 09h00]:



1) Comenta a gestão do LC por parte da Executive Board este mandato apresentado 2 Pontos Fortes e 2 Pontos Fracos, qual achas que deve ser a orientação da EB no próximo mandato no que diz respeito à Gestão do LC?


Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]: 
Os pontos mais fortes acabam por ser igualmente os dois mais fracos: orientação para resultados e relação com os membros. De forma a garantir a sustentabilidade do LC, é realmente necessário haver uma orientação para resultados e a EB de 2014-2015 conseguiu aumentar a performance do LC em geral. Contudo, uma vez que esse foco foi demasiado, estamos a enfrentar problemas de motivação e de compromisso dos membros. Quanto à relação EB-membros, os VPs são efetivamente pessoas muito acessíveis e sempre disponíveis para ajudarem os membros, tanto a nível da AIESEC como em situações não relacionadas com a organização. No entanto, existe uma certa discrepância entre os membros e a EB no trabalho enquanto AIESECers, no que diz respeito à passagem de informação e gestão de conhecimento. A pipeline information management é pouca e isso também pode contribuir para que os membros não sintam o propósito da organização.  

2) Um dos maiores desafios que o LC enfrenta no Summer peak é a retenção de membros para fazerem os objectivos acontecer, apresenta estratégias concretas para assegurar os resultados e ao mesmo tempo garantires que os membros continuam motivados para trabalhar e se desenvolverem.

Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]:

Uma forma de assegurar a presença dos membros durante o verão pode passar por dar-lhes essa informação logo no momento em que entram na organização. Um membro realmente motivado pode até não “precisar” que lhe expliquem que no verão a AIESEC continua a proporcionar experiências e que o seu contributo é fundamental. No entanto, e considerando que a maioria dos membros estuda longe de casa, é importante gerir estas expectativas com os membros no início do seu percurso na AIESEC em Aveiro. Além disso, podem ser marcadas para o verão atividades de convívio entre os membros, fazendo com que o trabalho durante o verão entre os AIESECers também possa ser um pouco de férias. É importante frisar que os membros terão a oportunidade de verem diretamente o resultado do trabalho que realizaram o ano todo e sentirem o envolvimento social que a AIESEC tem, se se envolverem na receção aos EPs, por exemplo. A “chama” pela organização tem de ser mantida durante todo o ano e, para isso, é fundamental apostarmos em sessões de motivação e introspeção para os membros se sentirem parte de um todo que é a AIESEC no mundo inteiro.



Última edição por PAG Aveiro em Sex Fev 13, 2015 3:51 pm, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

8 Daniela Relvas em Qua Fev 11, 2015 4:26 pm

Perguntas Daniela Relvas [dia 11 de Fevereiro às 09h00]:

1)  Tendo em conta o passado da AIESEC em Aveiro e o momento que atualmente vivemos se tivesses que escolher entre uma EB orientada para pessoas ou orientada para resultados qual escolherias e porquê.

Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]:
Sendo que a EB atual é orientada para resultados, considero que a próxima deve ser mais focada em pessoas, no desenvolvimento dos membros. A minha visão é que um membro motivado vai sempre trazer resultados para o LC, mais tarde ou mais cedo. E se o seu contributo não influenciar o mandato 2015-2016, irá certamente afetar o de 2016-2017. Além disso, a motivação e a paixão que movem um membro podem ser contagiantes e ter um efeito dominó nos restantes membros do escritório. No entanto, penso que o ideal seria encontrar um ponto de equilíbrio entre ambos os focos, sendo esse um dos objetivos principais que gostaria de ver o LC atingir no mandato 2015-2016.    

2) Tendo em conta que pela primeira vez na história da AIESEC em Aveiro existe BoA  apresenta um plano de capitalização deste órgão.


Resposta [13 de Fevereiro às 00h35]:
Tendo em conta as funções do BoA, a continuação do vice-reitor ou integração do reitor da Universidade de Aveiro é fundamental para a credibilidade, a ligação à UA e o crescimento do LC, dada a sua localização ser no campus da universidade. Da mesma forma, a presença de um representante da CIRA, entidade que integra todas as Câmaras Municipais de Aveiro, potencia o desenvolvimento e a promoção do escritório na cidade de Aveiro, e não apenas na universidade. Um diretor de uma escola que tenha aderido a um projeto do Impact Portugal e cuja experiência tenha sido de qualidade, tanto para o estagiário como para o TN Taker, o que trará prestígio à AIESEC e credibilidade à implementação do programa nas escolas secundárias de Aveiro. Uma vez que o vice-reitor é membro do BoA atualmente, a parceria com a Associação de Estudantes da UA pode estar facilitada, o que poderá ajudar no posicionamento do escritório da universidade, beneficiando a divulgação da organização e atingindo mais estudantes. A integração da VLM – Consultores poderá ser benéfica, dado o auxílio e conselhos possíveis em termos de vendas e marketing estratégico. Um alumni da AIESEC em Aveiro que se encontre no tecido empresarial em Aveiro e com influência nesse local trabalho pode ser utilizado para difundir a marca da AIESEC. Além destas, considero importante a capitalização de uma ONG desta cidade, tanto para promoção e aconselhamento em OGX GCDP como em ICX GCDP.



Última edição por PAG Aveiro em Sex Fev 13, 2015 3:52 pm, editado 2 vez(es)

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

9 Daniela Fonseca em Qua Fev 11, 2015 4:31 pm

Perguntas Daniela Fonseca [dia 11 de Fevereiro às 09h00]:


1) Reflectindo nos 4 programas que a AIESEC in Aveiro proporciona (OGX GCDP, OGX GIP, ICX GCDP, ICX GIP), caracteriza estes programas, o seu propósito e utilidade para a sociedade Portuguesa e a sua conexão ao propósito da AIESEC.


Resposta [dia 13 de Fevereiro às 00h35]:
Sendo a AIESEC uma promotora da Paz no mundo e do desenvolvimento do potencial humano, a oportunidade de jovens estudantes ou recém-licenciados realizarem um estágio internacional é um ponto-chave no entendimento e na aceitação das diferentes culturas existentes pelo mundo fora. Ser um voluntário internacional proporciona uma experiência de vida única ao estagiário que, mesmo que não se aperceba disso, vai conseguir desenvolver capacidades de liderança, de adaptação a novos ambientes e culturas, ganhar uma nova visão do mundo, melhorar as competências de comunicação (principalmente em Inglês) e, acima de tudo, descobrir-se a si próprio. Para além do que o estagiário desenvolve em si mesmo, ele vai conseguir impactar e ficar na memória das pessoas com quem trabalhou durante esse projeto de voluntariado, contribuindo para o crescimento social da comunidade envolvente. Estando o país a atravessar as consequências da crise económica, as experiências no estrangeiro são valorizadas no mercado de trabalho, mesmo se essa tenha sido um projeto social que não estava diretamente relacionado com a área de estudos do estagiário. Dessa forma, realizar um estágio remunerado internacional vai potenciar as capacidades e conhecimento do jovem no mercado de trabalho, além de que facilita o processo de internacionalização da empresa. É de salientar ainda o contributo em termos de ideias inovadoras e criativas que o estagiário pode dar à empresa, possibilitando a expensão dos seus horizontes. Os estágios da AIESEC são um desafio que obrigam os jovens a saírem da sua zona de conforto, o que contribui para a criação de um mindset mais arrojado, inovador e completo do jovem. 


2) Imagina que, em sinergia com RH, estás a contruir um plano de educação sobre vendas para ICX: construiu uma timeline do ciclo de formações, com os tópicos e oradores para cada sessão.


Resposta [dia 13 de Fevereiro às 00h35]:
Considerando a timeline dos projetos nacionais em iGCDP, este ciclo de formações de vendas para ICX teria de ser implementado durante o primeiro mês após a RIMT, como uma pequena extensão da mesma. Na sessão da primeira semana, penso que os tópicos abordados deviam direcionar-se para a explicação dos produtos em si, Global Mind e Impact Portugal, sem distinção da equipa específica em que o membro se encontra. Esta exposição sobre os produtos deve ser dada por um VP do LC de Aveiro ou de outro LC do país. Na semana seguinte, seria importante haver uma separação dos membros de cada equipa, sendo apresentados detalhas sobre os projetos: custos aos possíveis TN Takers, principais entraves que podem surgir ou que ocorreram em anos anteriores, financiamentos, mais-valias dos projetos e importância dos RAs para o nosso LC. Estas formações podem ser dadas por MCVPs das áreas, ou seja, o MCVP de iGCDP e o MCVP de iGIP. Uma semana após esta educação, seria útil realizarem-se formações, novamente separadas, com parceiros ou membros do BoA. No caso de iGCDP, um representante da VLM – Consultores pode dar a sessão, expondo a perspetiva externa que tem do LC e dos nossos produtos, ajudando na melhoria da nossa imagem. Para iGCDP, o mesmo pode ser feito com um Diretor Pedagógico de uma escola que tenha aderido ao MIP ou com um representante de um TN Taker do summer peak, em que fossem expostos os pontos positivos e negativos do projeto, assim como formas de melhorar esses problemas. Seria interessante esta última sessão incluir um treino de vendas por parte dos membros ao próprio orador.

Ver perfil do usuário http://eleicoesaiesecaveiro.criarforum.com

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum